Tesouro IPCA+ volta a pagar 4% de juro real. É uma boa hora para comprar?

Veja em: https://valorinveste.globo.com/produtos/renda-fixa/tesouro-direto/noticia/2021/03/05/tesouro-ipca-volta-a-pagar-4percent-de-juro-real-e-uma-boa-hora-para-comprar.ghtml

O título da dívida pública Tesouro IPCA+ com vencimento para o ano de 2040 voltou a oferecer 4% de juro real, aquele que fica acima da inflação. O investimento de renda fixa está com um prêmio maior por conta do temor do mercado em relação ao risco fiscal do Brasil. Dado o clima de incertezas, será que é um bom momento para investir nesses papéis?

Para a analista da Toro Investimentos, Paloma Brum, a resposta depende do perfil do investidor. Para quem topa o risco, é mais arrojado, os 4% de juro real ao ano ainda são pouco comparados aos possíveis retornos da renda variável, como ações e fundos multimercado.

Entretanto, a carteira recomendada da corretora para março indica que a compra de títulos atrelados ao IPCA seja uma estratégia interessante para investidores conservadores. Mas só uma parte, algo como 25% dos investimentos, devem ser alocados em papéis do Tesouro corrigidos pelo IPCA.

“Vale a pena para ele ter uma exposição, mas menor que nos pós-fixados (como Tesouro Selic), porque estamos diante de uma tendência de alta da Selic já na próxima reunião do Copom, em 17 de março“, diz. “Se o investidor quer sair do título antes do vencimento, ele deve ficar de olho na Selic. Esse titulo sofre marcação a mercado e muda de preço em relação à taxa de juros. Ao longo do caminho pode valer menos do que quando a pessoa investiu”.

A aposta dos especialistas do mercado é que a taxa referência de juros (Selic) aumente em até 0,5 ponto percentual ainda neste mês. Normalmente, quando há uma alta dos juros básicos, os títulos do Tesouro tendem a oferecer um prêmio um pouco melhor e, por isso, papéis comprados anteriormente, com juros mais tímidos, podem se desvalorizar.

Em outras palavras: quando o cenário é de alta dos juros, o melhor a se fazer é acompanhar o movimento via Títulos do Tesouro Selic. Já os prefixados, neste caso de aumento da Selic tendem a ter algum tipo de prejuízo no que se chama marcação a mercado.

Este movimento, de valorização ou desvalorização do seu investimento, é chamado de marcação a mercado e ele só ocorre quando o investidor faz o saque do dinheiro antes da data de vencimento do título. E quanto mais longo for o prazo do título, mais vulnerável a marcação a mercado ele será.

Com base nisso e nas mudanças de cenário que podem ocorrer ao longo do tempo, os títulos de Tesouro IPCA com vencimento daqui mais de 19 anos são os únicos que oferecem juro real acima de 4% ao ano. É uma maneira de tentar compensar o risco de um título tão longo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Oferecemos um serviço 100% personalizado às necessidades dos clientes, numa linguagem simples e descomplicada, entregando um planejamento financeiro completo.

Contate-nos

Open chat